Gabriel / Ramos

⟨ desenvolvedor web ⟩

Voltar

O Freela não compensa

Reflexões após alguns anos pegando trabalhos como freelancer


Você pode ler esse título e pensar: “Mas como não compensa? Existem tantas pessoas que se mantêm somente com freelas!”

Concordo plenamente com essa afirmação e eu mesmo, durante um bom tempo, estaria bem quebrado se não fosse por alguns freelancers, mas, deixe eu explicar meu pensamento…

Um trabalho sem vínculo

Dependendo do seu ponto de vista isso pode ser encarado como algo positivo, onde você teria uma flexibilidade de horário e “trabalharia a hora que quisesse”, certo?

Agora imagine o seguinte cenário: um amigo de um amigo seu tem uma empresa Y e precisa desenvolver um sistema X.

Você acha que se tal empresa Y estivesse realmente interessada em um sistema ela não optaria por procurar outra empresa especializada na área que, consequentemente teria seus funcionários devidamente alocados para desenvolver esse projeto?

O que nos leva a outro assunto em meio aos freelancers…

Contrato

Mesmo não tendo vínculo algum, você pode tentar (muitas vezes somente tentar mesmo) firmar um contrato com quem deseja seu serviço freelancer.

As chances de essa pessoa negar ou botar impedimentos em seu contrato é bem grande, visto que se ela quisesse assinar contratos e impor qualquer forma de vínculo ela teria contratado seu próprio desenvolvedor (ou time de desenvolvimento) ou entraria em contato com uma empresa especializada, como mencionei acima.

Cobrança

Se o freela e quem deseja seu serviço não possuem vínculo, isso não impede que a cobrança seja feita de forma errada.

Imagine que você faz sua rotina de trabalhos como freela pela parte da manhã e, durante a noite, você tem aquele “cliente” que fica te cobrando prazos, alterações, informações etc. Não é uma situação cotidiana muito agradável e é algo que pode se tornar bem comum…

Claro, você pode estar pegando freela também como uma “renda extra”, mas, caso seu “cliente” seja um desconhecido, você acha realmente que ele vai se importar com o horário que você está ou não disponível? Com certeza não, ainda mais se a cobrança estiver vindo do chefe dele, ou pior, do cliente dele.

O acerto de contas

Grandes problemas podem surgir justo na hora que você mais espera: a hora de receber o pagamento por um serviço freelancer que você prestou.

O cliente pode alegar, ao final do projeto, que seu valor ainda está alto (mesmo tendo acordado com o valor anteriormente), ou atrasar seu pagamento por diversos motivos e até mesmo não pagar, afinal, vocês não têm vínculo algum.

Claro que, no pior dos casos, você provavelmente teria toda a troca de e-mails, conversas e prova de negociações entre vocês e, judicialmente, talvez seu “cliente” fosse obrigado a pagar. Mas isso com certeza ainda te traria algumas horas, dias (talvez até meses) de dores de cabeça.

Ok, então. Desisti de fazer freela!

Calma aí… Não é bem assim também!

No fim das contas, se você acordou um bom valor, você terá (pensando sempre positivamente) seu dinheiro ao finalizar o trabalho. Fora todas as experiências que você pode ter ao tratar com diferentes “clientes”.

Sem contar que, existem muitos meios de estreitar a relação entre freelancer e cliente, como é o caso de alguns sites como o 99freelas, Upwork, Workana, freelancer.com e diversos outros, o que facilita bastante também qualquer problema que você possa ter. Muitos deles até fazem com que o cliente pague o valor antes, garantindo o pagamento ao freelancer ao finalizar o serviço e também o estorno caso a entrega não seja cumprida.

Depois de apanhar bastante, defini meu próprio mantra: “aceitar freelas somente se vierem diretamente de uma fonte conhecida”. Seja de um amigo que precisa desenvolver um produto, um familiar que sabe o valor de meu trabalho e respeitaria minhas horas dedicadas aos meus projetos ou coisas do tipo. Até o momento tem dado certo, os valores fechados condizem com meus esforços e os aprendizados também são ótimos!

Freelas por indicação acabo por não aceitar mais, justamente pelos riscos que expus acima (que acredito serem menores ao aceitar um trabalho diretamente de conhecidos).

Não tive o intuito de ser aqueles pregadores que tentam te convencer que um framework é melhor que o outro ou então acham que podem te ensinar a trabalhar. Até porque, como acabei de dizer, continuo trabalhando dessa forma também. Quis apenas dar minha opinião para que você pudesse pensar melhor antes de aceitar um freela ou outro.